Notícia

Participação no Conselho de Segurança Privada

Logo MAI 0e505No passado dia 11 de Outubro o Presidente da ADSP, a convite do Ministro da Administração Interna, participou no Conselho de Segurança Privada e fez-se acompanhar do Presidente da Mesa da Assembleia-Geral. O CSP foi presidido pela Secretária de Estado Adjunta e da Administração Interna, Dra. Isabel Oneto.

Na reunião foi aprovada a ata da reunião do CSP de 22 de março de 2018 e foi aprovado o Relatório Anual de Segurança Privada de 2017 que pode ser consultado aqui.

Foi ainda feito o ponto de situação sobre o processo legislativo de revisão do regime jurídico da segurança privada, nomeadamente, as propostas de alteração ao Decreto-Lei n.º 135/2014, de 8 de Setembro e à Lei n.º 34/2013, de 16 de Maio.

Continue a leitura

Moção - Mais e melhor segurança, um serviço para bem de todos

Logo Assembleia Municipal Lisboa 22cfdNo passado dia 09 de Outubro o Grupo Municipal do PSD apresentou na Assembleia Municipal de Lisboa a moção "Mais e melhor segurança, um serviço para bem de todos" que dá voz às preocupações da ADSP relativamente à revisão do regime jurídico da segurança privada principalmente por limitar-se a regular a atividade das empresas de segurança privada em vez de também passar a determinar as medidas de segurança que os privados, detentores de ativos relevantes para o país e responsáveis por atividades essenciais para a manutenção de funções vitais para a sociedade deveriam adotar.

Consultar a Moção "MAIS E MELHOR SEGURANÇA, UM SERVIÇO PARA BEM DE TODOS"

O Grupo Municipal proponente solicitou à Mesa que a Moção não fosse votada e propôs que a mesma baixasse à 8.ª Comissão Permanente – Transportes, Mobilidade e Segurança, para apreciação, o que foi aceite sendo aprovada por maioria com a seguinte votação: Favor: PS/ PSD/ PAN/ PPM/ 7 IND – Abstenção: PCP/ CDS-PP/ BE/ PEV/ MPT/ 1 IND).

Consultar página 7 em www.am-lisboa.pt/documentos/.pdf

Audiência com o Grupo Parlamentar do CDS-PP

Logo CDS PP 56c5dNo passado dia 09 de Outubro uma delegação da ADSP, composta pelo presidente, secretário-geral e um vogal da direção, foi recebida pela deputada Vânia Dias da Silva do CDS-PP.

Na reunião, que demorou cerca de 90 minutos e que decorreu num clima de enorme cordialidade, foi possível apresentar as principais preocupações da ADSP relativamente às propostas de alteração ao regime jurídico da segurança privada, destacando-se o alerta que deixamos para que o regime juridico da segurança privada não se limite, como até aqui, a regular a atividade das empresas de segurança privada mas também a determinar as medidas de segurança que os privados, detentores de ativos relevantes para o país e responsáveis por atividades essenciais para a manutenção de funções vitais para a sociedade, devem adotar.

No final da audiência deixamos um memorando com as nossas principais preocupações sobre o processo de revisão do regime jurídico da segurança privada.

Audiência com o Grupo de Trabalho do Desporto da Assembleia da República

Logo Assembleia República 9932cNo passado dia 20 de Setembro uma delegação da ADSP, composta pelo seu presidente, o vogal da direção Francisco Oliveira e o associado Nuno Paiva, foi recebida pelo Grupo de Trabalho do Desporto da 12.ª Comissão, de Cultura, Comunicação, Juventude e Desporto da Assembleia da República.

Durante a reunião, que durou cerca de 60 minutos e que decorreu num clima de enorme cordialidade, foi possível apresentar as principais preocupações da ADSP relativamente às propostas de alteração às Leis n.os 34/2013, de 16 de maio e 39/2009, de 30 de julho, nomeadamente, quanto às funções dos gestores de segurança, coordenadores de segurança e pontos de contacto para a segurança.

No final da audiência deixamos um memorando com as nossas principais posições.

Página do Parlamento com Memorando e streaming da audiência

Memorando.pdf 

CARTÕES-FACA à venda na Internet

O Jornal de Notícias do passado dia 2 de Setembro, publica sob o título "CARTÕES-FACA À VENDA NA INTERNET POR UM EURO, VÃO DAR CADEIA", o artigo da autoria do jornalista Roberto Bessa Moreira, sobre "Armas Dissimuladas", que podem ser adquiridas na Internet por muitos poucos euros.

Em declarações ao jornalista, o Presidente da ADSP, Ludovico Jara Franco, refere-se aos “card sharp”, os cartões de plástico semelhantes a um cartão de crédito que escondem uma faca, que já são puníveis por lei, com pena de prisão até quatro anos ou com pena de multa até 480 dias.

Segundo o Presidente da ADSP, este “card sharp” é um problema sério pelas suas caraterísticas, uma vez que passa pelos atuais detetores de metais, sem emitir qualquer sinal que o denuncie.

PDF do artigo JN "CARTÕES-FACA À VENDA NA INTERNET POR UM EURO, VÃO DAR CADEIA"

"Este website utiliza cookies. Ao continuar a navegação está a aceitar a sua utilização. Caso pretenda saber mais, consulte a nossa POLÍTICA DE PRIVACIDADE"